sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

FELIZ ANO NOVO!!!


BEM VINDO 2 0 1 0 !!!!!

PAZ, AMOR, SAÚDE, FÉ, LUZ, HARMONIA, SUCESSO, FELICIDADE, PAIXÃO, AMIZADE, ALEGRIA, TRABALHO, DINHEIRO, SOL, PRAIA, CARINHO, GENTILEZA, COMPAIXÃO, SOLIDARIEDADE, TESÃO, RESPEITO, MERECIMENTO, FAMÍLIA, CONFORTO, CULTURA, CINEMA, TEATRO, EQUILIBRIO, APRENDIZADO, NAMORO, BEIJO NA BOCA, SORRISO, GARGALHADA, MÚSICA, VERDADE, BONS FLUIDOS, BOAS VIBRAÇÕES, LUA NOVA, VIAGEM . . .

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL



Imagino que assim devia ser a ceia de Cristo nos dias de hoje.

 Sabe aquele monte de comida que sobra das mesas fartas de Natal todo ano? Não jogue fora, faça uma quentinha e distribua aos que moram na rua. Talvez esse seja o seu melhor presente de natal a alguém.

FELIZ NATAL À TODOS!!!   

Epílogo 2009

Trabalho fluindo devagar,
O contador marcando o tempo
que vai passando e me levando
Todo mundo em festa, comemorando
E eu lembrando que tá quase na hora de viajar...

Vou daqui pra lá, de lá pra cá
Voando vou mesmo estar
Tempo, tempo, tempo
Me embale em suas mãos
Me faça descansar!

Itacaré, me receba com fé, sol, frescura
e festa pra gente dançar!

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

A Bula


Toda conversa entre boas amigas que se preza tem sempre a hora da pergunta que não quer calar, muito pelo contrário, quer ouvir e muito: “E aquele seu caso?”, entre outras modalidades pode se ler também “E aquele seu ficante, peguete, P.A ou B.A?” Vou facilitar um pouquinho para as que estão chegando à pista agora e precisam se atualizar, o “A” refere-se a palavra “AMIGO”, já o “P” e o “B” deixo por conta da imaginação de vocês.
Foi assim mais uma vez, entre um papo e outro, um encontro e outro, um copo e um bar, que comecei a escrever a bula, ouvindo uma conversa ( = confissões) entre amigas. Fiquei praticamente mumificada enquanto elas davam seus depoimentos. Só pensava na BULA, tinha até medo de me mexer e as idéias fugirem.
Quando perguntei pra minha amiga sobre sua situação, ela me respondeu: “Aquela parada não deu certo não, era DR (discutir a relação) toda noite, só queria falar, combinar nossas atitudes e formas de viver a relação, pô to fora!”. Hum hum, entendi, uma chatice presumida! A outra, quando questionada, disse que melhor seria que as pessoas quando interessadas nas outras, fossem mais diretas e objetivas, pois ela já havia sido enrolada o suficiente, estava na quinta tentativa e não estava feliz.
Pensei mais uma vez na bula!
Exemplo:
Fulano de Tal ( composição: 20% constituído de cérebro, 40% de massa muscular, 40% de tesão)
Indicado: Para mulheres extremamente carentes, que gostam de músicas do tipo “Você precisa de um homem pra chamar de seu”, “Você foi o maior dos meus casos...” linha Roberto/Romântica. Que topam assistir uma partida de futebol num domingo com os amigos dele e depois almoçar um churrasco no clube feito pelo próprio. Que não se importam se o sábado ou domingo é de sol praiano. Que mesmo que não bebam cerveja, não se importam se ele bebe e muito. Que admiram a lua da janela do quarto antes de dormir, pois a noite foi feita pra descansar e namorar.
Contra-indicado: Para mulheres politizadas, independentes, com renda superior a R$ 3.500,00, que moram sozinhas, que acabaram de sair de um relacionamento há pouco tempo, que gostam de dançar, viajar, ir ao cinema e encontrar os amigos pra uma balada na sexta-feira. . . Pode ser na Lapa. Sábado e domingo de sol ninguém a leva pra outro lugar que não seja a praia junto dos amigos e da cervejinha gelada ...

É mais ou menos isso. Bula hoje em dia faz uma falta tremenda às solteiras que estão na estação contando os vagões que passam. Já estive bom tempo na pista . . .ops, eu disse ESTIVE?
Bom, só quem está ou esteve na pista é que sabe como a bula é necessária. É claro que a gente cria métodos, instrumentos e vai se virando, tem a percepção das outras amigas que ajudam ou atrapalham. Eu disse atrapalham? Sim, porque a inveja existe! Na hora que pinta um só e te dá um mole, as outras três, que estavam com você na balada, morrem de raiva de você e começam a colocar defeito no cara, só te deixam confusa! Depois passa naturalmente, é só olhar pro lado e ver outro saradinho sozinho!
Outra coisa que, nós solteiras, desenvolvemos, foi aquela tal e danada intuição, mas se beber não confie nela de jeito nenhum! É pior do que bafômetro, te entrega sem pena nem perdão!
A experiência pra mim é a melhor, é o tempo de pista e desenvoltura que te dá condições de traduzir, revelar o RX do intencionado. Em quase 70% dos casos a gente acerta ou chega perto da descoberta da bula.
Confesso que tá difícil, muuuuuuuuuuuuuuito difícil mesmo ficar solteira hoje e acertar um dardo na noite, é claro que depende pra onde você vai, mas independente disso, só tem gente doida, carente, desesperada, bipolar, bombada, drogada e querendo ser adotada.
Quando se cai na estatística das 30% de chances da intuição errar, a gente entra em cada roubada, cada confusão. A pior delas aconteceu com uma amiga, não conto qual de jeito nenhum!!! Levou o cara pra casa e, na mesma noite descobriu que o dito cujo toma remédio "pros neuvos", tem vez ou outra uma convulsão, se trata com psiquiatra e seus remédios são todos iguais à bandeira do botafogo – caixa branca e tarja preta!!! Detalhe, ele saiu com ela e encheu a cara sem se importar com os remédios que toma, ela ainda não sabia. O resto da noite? Você nem imagina!!! E vai ficar sem imaginar porque se ela ler isso vai me matar!
Ai Jejuginho Cristinho!!! Dê logo a luz pra descoberta dessa bula!

Divino Maravilhoso




"Atençao ao dobrar uma esquina
Com alegria atenção menina
Vc vem . . . quantos anos vc tem?
Atenção precisa ter olhos firmes
Veja o sol para escuridão
Atenção tudo é perigoso
Tudo é divino maravilhoso!"


- Jovens Talentos -

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

A pessoa certa no momento certo

Pra minha prima com todo meu carinho e ombro amigo. Faça do texto de Fernando Pessoa sua pequena oração diária, chegará um tempo que você não precisará mais lê-lo. Estou aqui sempre!

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu...
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... E o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é! Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és...
E lembra-te: Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão!


quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

O melhor de mim em 2009



Não sou do tipo que vive correndo do perigo e se protegendo o tempo todo, apenas evito (quando possível). Nunca deixo de encarar os riscos, de ver qual é a ultima cena, seja de pavor ou de felicidade. Assim vou me lapidando, entre encontros e desencontros vou lascando algumas partes, refazendo aqui, lavando a alma dali, tirando, colocando, deixando, pegando, soltando. . .Assim, viro maestro da sinfonia que é a minha vida. Assim vou desembrutecendo meu diamante interno.
Ainda acredito nas relações profundas, duradouras e no amor. Na família, no cuidado com o outro, na cumplicidade, na amizade, no abraço como bálsamo no final do dia, mas também acredito na dor. Não me refiro a essa dor volátil, adolescente, como quem perdeu alguma coisa e sai chorando correndo pra casa, reclamando todo dia e toda hora da perda do objeto ou da pessoa. Ah! Isso não!
Acredito na dor que vem pra transformar, mexer, sacudir e te acordar!
A dor só permanece infernal se você não a aceita como oportunidade de crescimento, de se auto-perceber, como agente de renovação . . .
A fruta quando cai do pé é de madura, muitas vezes se fere ao cair no chão, mas não perde jamais sua essência e sabor. Quem a encontra, muitas vezes pode saborear o melhor do seu momento, o doce mel que só as frutas maduras podem proporcionar.
Sou otimista mesmo quando estou em estado de dor, procuro achar que tudo que vai é porque tinha de ir, tudo que não era pra ficar era porque não me faria bem. Confio sempre nas leis do universo e nas suas providências!
Ih é balanço? Não pensei nisso, mas devo estar entrando nessa neurose coletiva de retrospectiva anual, os bons e os maus momentos, o melhor e o pior do ano.

Então já que entrei e nem percebi, vou sair assim...
Melhor:
- A recuperação da minha mãe

- O meu Blog: efeito positivo para o meu melhor momento sozinha
- Voltar a escrever com mais inspiração
- As novas perspectivas do meu trabalho para 2010
- O consultório
- Novos amigos
- Amigos distantes que voltaram
- O tanto quanto amadureci e superei dificuldades
- Sair inteira e viva de uma caverna escura e sufocante
- O Budismo que sempre se renova na condução dos meus passos
- As viagens em terra e as viagens astrais
- Um reencontro especial
- O amigo diferente e confidente de todas as horas
- A alegria que nunca me abandona
- O sol e a praia do Leblon
- A minha casa
- A saúde estabilizada da minha gata
- O mês de Novembro
- Uma nova possibilidade de amor 
- Eu mais fortalecida e renovada

Pior
- Não lembro, mas se houve foi pra melhor.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Meu Rio é Flamengo até morrer!



Atrasada sim, mas é que andei festejando outras vitórias . . . 

Quando vi essa foto não pensei duas vezes
- Essa vai pro Bello, coisa e tal! Me apaixonei!
Ainda estou emocionada, vibrando, cantando
e achando o Rio a cara do flamengo. 
Parece que todos os cariocas são flamenguistas
Por onde a gente passa tem uma fitinha, uma camisa,
uma bandeirinha, um escudo, um adesivo . . .
Só falta a árvore da Lagoa piscar suas bolinhas
. . . pretas e vermelhas . . . Hummmm gostei disso . . . 
Vou fazer mais um pedido pro Bradesco!

É isso aí, bola rodando, bola pra frente que a gente tá cheio da Bola!!!

Valeu Hexa-Mengão!!!!

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Todo ano a Árvore da Lagoa nasce no meu jardim!


Todo ano a mesma euforia pra inauguração,
Todo ano a mesma árvore vestida com outra roupa
Todo ano o mesmo engarrafamento kilométrico
Todo ano todo mundo vai ver a árvore no mesmo lugar
Todo ano aquele monte de carrocinhas degustativas
É milho, algodão doce, tapioca, pipoca, cachorro-quente,
refrigerante, cerveja, sem faltar água de côco.

Ela sempre nasce na Lagoa
e eu sempre morando nela ou perto dela
Precisando todos os dias passar por ali
seja pra chegar em casa ou no trabalho
E foi assim que me peguei pensando:
Que pena dos meus amigos,
àqueles que moram na Barra, na zona norte e na Baixada
precisam se estressar todo ano pra vir aqui ver essa árvore!
Equanto isso . . . 
Eu tenho ela a disposição todos os anos no mesmo lugar
Ah! Não, isso não é justo!!!!

Bradesco, chega de presente repetido,
presenteia um pouco os meus amigos,
leva a árvore ano que vem pra Barra ou pra Baixada!!!

Abrindo a semana

Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida . . .
E ser artista no nosso convívio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia
Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum veneno antimonotonia
 
Cazuza

Excursionando películas num domingo

Quer domingo melhor que esse para entrar num cineminha e, relaxadamente, enquanto a chuva cai lá fora, assistir um filminho bem gostoso?



Depois de um café da manhã reforçado e uma parceria cinéfila, foi exatamente o que fiz. Comecei por uma sessão às 13h20minh e fui assistir "Abraços Partidos" - Dizer que é um filme de Almodóvar já basta? Pra quem gosta e conhece, com certeza! O filme perpassa por ângulos habitues usado por Dovarzinho (rs), o da surpresa, mistério, revelações, exageros, exuberâncias, dramalhão, boas risadas e Penélope Cruz. Pra quem ainda não viu, a história é boa, os atores melhores ainda, trilha sonora de primeira, sempre! Não tem como errar, vai ser sempre bom - na minha fã opinião, é claro!
Saí do cinema e já era meio da tarde, eu comecei a sentir uma fome de quem não almoçará durante um dia inteiro, aí foi que me dei conta de que na hora do almoço eu saboreava um filme inteirinho. Estava pertinho do shopping Leblon e não deu outra, foi pra lá mesmo que meus passos, quase no automático, me levaram. A cinéfila reclamou, mas foi indo . . . falando do filme como se estivesse ainda uma tela em nossa frente.
Não preciso nem dizer que o shopping era um verdadeiro formigueiro desordenado e que, na hora que alcancei o andar da praça de alimentação, parecia que ali se aglomeravam todas as formigas devoradoras. Consegui uma mesa, ufa! Consegui fazer meu prato, ufa! Oi, oi, oi, oi, de repente todo mundo se encontrava naquela praça e almoçava variados pratos e sanduíches. Encontros inesperados e engraçados, filmes, compras, comidas, histórias, causos . . . foi assim que engolia a comida para mais uma saga cinéfila, dessa vez uma comédia brasileira - "Embarque imediato". Por coincidência era essa a sensação que tinha naquele momento, quase 5 minutos antes do filme começar estava dando a ultima garfada do meu almoço!





Mais uma vez bilheteria, carteirinha, escolha do lugar, e lá vamos nós! A chuva continuava insistente, que bom, tudo casava novamente!
Engano, mero engano . . . só não dormi porque a Marília é boa mesmo, até num filme como esse ela consegue me deixar acordada! Dei algumas risadas pra não me sentir indiferente à platéia e porque ela é mesmo engraçada, mas pelo amor de Deus, assim vou desistir de filme nacional, não tá dando . . .

Um sorvetinho no Itália pra terminar o domingo em grande estilo . . . cama quentinha com edredom que hoje faz por merecer . . . e telecine, só pra relaxar um pouquinho!

domingo, 13 de dezembro de 2009

Precisa-se urgentemente!!!

De loucos uns pelos outros!
Que em seus surtos de loucura tenham habilidades suficientes para agir como treinadores de um mundo melhor. Que olhem a ética, o respeito às pessoas e a responsabilidade social não apenas como princípios organizacionais, mas como verdadeiros compromissos com o Universo.
Precisa-se de loucos de paixão!
Não só pelo trabalho, mas principalmente por gente, que vejam em cada ser humano o reflexo de si mesmo, trabalhando para que velhas competências dêem lugar ao brilho no olhar e a comportamentos humanizados.
Precisa-se de loucos de coragem!
Para aplicar a diversidade em suas fileiras de trabalho, promovendo igualdade de condições sem reservas, onde as minorias possam ter seu lugar, em um ambiente de satisfação e crescimento pessoal, independente do tamanho do negócio,segmento ou origem do capital.
Precisa-se de loucos visionários!
Que, além da prospecção de cenários futuros, possam assegurar um novo amanhã, criando estratégias de negócios que estejam intrinsecamente ligadas à felicidade das pessoas. Primeiro a gente é feliz, depois a gente faz sucesso, não se pode inverter esta ordem.
Precisa-se de loucos pelo desconhecido!
Que caminhem na contramão da história, ouvindo menos o que os gurus tem a dizer sobre mobilidade de capitais,tecnologia ou eficiência gerencial e ouvindo mais seus próprios corações.
Precisa-se simplesmente de loucos de amor!
De amor que transcende toda a hierarquia, que quebra paradigmas; Amor que cada ser humano deve despertar e desenvolver dentro de si e pôr a serviço da vida própria e alheia; Amor cheio de energia, amor do diálogo e da compreensão, amor partilhado e divino, do jeito que Deus gosta.
As organizações precisam urgentemente de loucos!
Capazes de implantar novos modelos de gestão, essencialmente focados no SER, sem receios de serem chamados de insanos, que saibam que a felicidade consiste em realizar as grandes verdades e não somente em ouvi-las… Ou resgatamos a inocência perdida ou teremos que desistir de vez da condição de HUMANOS.

- Autor desconhecido -

"É proibido fumar"


“É proibido fumar”, de Anna Muylaert, foi eleito o melhor filme pelo júri oficial do 42º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro.
O filme levou mais sete prêmios – entre eles, o de melhor atriz, para Glória Pires, e o de melhor ator, para Paulo Miklos.

O filme conta a história de uma professora de música fumante (Glória Pires) que tenta largar o cigarro após conhecer um novo vizinho – interpretado pelo ator e músico Paulo Miklos. “É Proibido Fumar” também levou os prêmios de montagem, trilha sonora, direção de arte, roteiro e melhor atriz.
 
Fico extremamente feliz com os prêmios e, principalmente o de melhor atriz para Glória, mas roteiro, direção e trilha sonora é de matar!!! Fui acreditando que, como vem acontecendo ao longo desses 20 anos que acompanho o cinema nacional, seria maravilhoso, principalmente pela atriz da categoria de Glória, mas apesar do afeto, faltou sal. Receita para hipertensos! 
Eu não recomendo, mas acho que filme é relativo, assim como religião e futebol, cada um tem sua percepção e opinião. A glória do filme pra mim continua sendo a Glória! Merecido prêmio!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Dia 08/12 - Sagitária Maria


Parabéns pra você nessa data que sempre será querida!
O tempo não será capaz de me fazer esquecer
Meu amor por ti transcende e não pode ter fim
Você vai continuar viva em mim, na minha vida, na minha história.
A saudade é grande, o amor é forte, a lembrança é permanente
Você é a tatuagem viva que Deus fez no meu coração.

Feliz Aniversário minha tia!

sábado, 5 de dezembro de 2009

Antigo registro sobre o amor

Há pessoas que vivem o amor como se ele fosse um salva-vidas.
Cada um ama e vive o amor como sente necessidade, é exatamente isso que muitos procuram no seu amor, algo que compense e preencha suas necessidades, mas se esquece que até mesmo as necessidades são transitórias e mutáveis.
O amor quando é compensação, ilusão, inventado, de usos e frutos, não se sustenta, ele tende a se perder, se decepcionar, se magoar. . .se culpa de não ter sido eterno, se quebra em mentiras de nunca ter sido verdadeiro, porque foi inventado.
Amor quando amor se é, vive pra sempre
Vive na alma e no querer bem mesmo na distância
Amor quando não é tampão das necessidades é pra sempre
Transforma-se em bem não apropriado, mas conquistado
Amor pode manter união de raças, pode libertar e ser libertado,
Pode perdoar e ser perdoado
Quando o amor se vai é porque nunca existiu
O amor de verdade se transforma,
se aninha entre o bem e a coragem, se encontra e se reconhece
Não importa quanto tempo, não importa se já foi por outros mares . . .

Não vivi procurando satisfazer o outro e nem tentando ser o que não era pra agradar, sou como sou, seja pra quem for, seja do jeito que for.
Por mais que tenha aprendido, por mais que tenha sofrido, por mais que tenha errado, por mais que tenha encantado, ainda sou eu mesma, codificada pelos meus defeitos e virtudes, pelos sonhos que ainda vivo e viverei.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

New Garden






Tudo estava congelado
Arquivado na caixa preta
E-mail morto-vivo, zumbi de mim
prisioneiro de ninguém
E-mails mortos empoeirados
opacos que não fazem mais sentido
Nem mesmo eu os lia mais
Engraçado, eles já pareciam mortos
mortos antes de morrer
O que isso ainda está fazendo aqui?
Pra quê planta morta no meu jardim?
Tá na hora de reflorestar e plantar novas sementes
Deixa eu mexer novamente na terra
arar, preparar, semear . . . flores novas querem brotar.

Esse cara é MUITO engraçado!!!

A CASA É SUA
http://www.goear.com/listen/95a126f/a-casa-é-sua-arnaldo-antunes
Não me falta cadeira
Não me falta sofá
Só falta você sentada na sala
Só falta você estar

Não me falta parede
E nela uma porta pra você entrar
Não me falta tapete
Só falta o seu pé descalço pra pisar
Não me falta cama
Só falta você deitar
Não me falta o sol da manhã
Só falta você acordar

Pras janelas se abrirem pra mim
E o vento brincar no quintal
Embalando as flores do jardim
Balançando as cores no varal

A casa é sua
Por que não chega logo?
Até o teto tá de ponta-cabeça
Porque você demora
A casa é sua
Por que não chega logo?
Nem o prego aguenta mais
O peso desse relógio

Não me falta banheiro, quarto
Abajur, sala de jantar
Não me falta cozinha
Só falta a campainha tocar
Não me falta cachorro
Uivando só porque você não está
Parece até que está pedindo socorro
Como tudo aqui nesse lugar

Não me falta casa
Só falta ela ser um lar
Não me falta o tempo que passa
Só não dá mais para tanto esperar
Para os pássaros voltarem a cantar
E a nuvem desenhar um coração flechado
Para o chão voltar a se deitar
E a chuva batucar no telhado
A casa é sua
Por que não chega logo?
Até o teto tá de ponta-cabeça
Porque você demora

A casa é sua
Por que não chega logo?
Nem o prego aguenta mais
O peso desse relógio

- Arnaldo Antunes -

Ilegais



Desse jeito vão saber de nós dois
Dessa nossa vida
E será uma maldade veloz
Malignas línguas
Nossos corpos não conseguem ter paz
Em uma distância
Nossos olhos são dengosos demais
Que não se consolam, clamam fugazes
Olhos que se entregam
Ilegais

Eu só sei que eu quero você
Pertinho de mim
Eu quero você
Dentro de mim
Eu quero você
Em cima de mim
Eu quero você

- Vanessa da Mata -

Novo Mel









Vou esquecendo aos poucos a receita
Misturando outros ingredientes
Deixando que a imaginação crie novas combinações
Temperando com pimenta, sal e alecrim
Um bom paladar pra te seduzir
Ajeito a cama, estico os lençóis e te convido pra dormir
Um perfume diferente me excita
É forte, é doce . . . cafuzo e cafuné
Não sei que lua nos observa lá fora
Mas aqui dentro, seu mel me desperta pra aurora.

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Qual é o seu tipo afinal?

Tipo de quê, pra quê?
O tipo dos meus olhos ainda é a beleza exterior
Meus olhos passeiam muito naturalmente nos olhos,
nos narizes, nos cabelos, nas formas maliciosas do corpo alheio,
nos sorrisos que mostram os dentes, na cor da pele ......
Meus olhos são independentes do meu coração
Mas meu coração quando forte é capaz de fechar meus olhos

Recentemente descobri que meu tipo
É aquele que vejo com a alma
É ele quem procuro sem pressa
O tipo sensível, doce e educado
Tipo natural, espontâneo, autêntico
que não tem medo de amar tantas vezes for
e quando tiver de sofrer, que seja com dignidade e poesia

Estou ainda aprendendo a identificar
o meu novo "tipo", mas é fundamental que
ele tenha uma alegria contagiante
que ao sorrir me faça sorrir do seu sorriso
bom humor é indispensável
educação nos gestos e no tratar os outros
que goste de viajar, de comer, de música e de gente
que não seja chato e inconveniente
pratique o esporte de fazer o bem a quem lhe cruzar o caminho

O tipo discreto e extravagante, dependendo do momento
Que sabe entender, respeitar e ouvir o silêncio
Sem vícios malignos e loucuras abusivas e perversas
Que goste de animais
Que sente amor quando o amor lhe sente
Que sabe conjugar a dois, cumplicidade, entrega e felicidade

Que não dissimule, que não minta ou use jogos de sedução
Que pratique a fé sem fanatismo
Que pegue na minha mão e me convide pra ir . . .

Que tipo é esse??
Você conhece alguém assim??

Obrigada pela companhia
Obrigada pelo sim
Obrigada por ser assim.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

"Eu quero" . . . pra responder você . . .

Pode parecer estranho responder só agora e através desse blog, mas é que quando me fez a pergunta: “O que você quer?” Achei que me perguntava com ironia e injúria e fiquei muda. Muda e paralisada, como há muito tempo não ficava. Analisando mais tarde e sozinha, entendi que não era fácil mesmo te responder assim correndo naquele instante, porque o que eu quero é:

Andar mais tempo descalça
Dormir sem me preocupar com a hora de acordar
Tomar sol sem medo de manchar a pele
Fumar menos e menos até não fumar nunca mais
Não ter o compromisso de estar compromissada
Beber mais água
Apreciar a chuva quando ela cai
Ir mais à espaços culturais
Viajar pelo menos uma vez por mês
Ter cumplicidade nas relações
Fazer do meu trabalho o fio condutor das ações sociais que acredito
Não precisar trabalhar pra ganhar dinheiro
Passar mais tempo sozinha em casa
Assistir mais vezes o pôr do sol
Passar mais tempo no mato, na serra e na cachoeira
Não andar nem me envolver com pessoas vazias
Andar de mãos dadas sem me sentir responsável pela mão do outro
Falar mais de amor e dar mais carinho e atenção aos que amo
Não ter pressa ou correr mais que o relógio
Tomar banho gelado no inverno assim como no verão
Receber os amigos em casa pra curtir suas diferenças
Ir mais ao cinema e ao teatro
Correr mais riscos
Não precisar tomar remédio
Ouvir música boa e cantar alto
Dar mais boas risadas de mim mesma e com os amigos
Tirar um sarro gostoso sem ter que depois ir pra cama
Namorar sem juntar escovas de dente no banheiro
Cuidar melhor das minhas plantinhas
Um milagre que perpetue minha gata (Carol)
Não me importar se não agrado ou se falo o que desagrada
Vestir somente as roupas confortáveis que gosto
Beijar mais na boca das bocas que me encantam
Saborear os bons pratos e as boas bebidas sem culpa
Deitar a sombra de uma árvore e sentir a brisa alisar meu rosto
Ter mais momentos de letargia
Me dedicar mais ao Budismo
Ver as pessoas que amo sendo e fazendo coisas que lhes deixam felizes
Cuidar melhor e mais de mim
Mais pacientes e maior tempo de dedicação pra elas
Escrever mais e com muito mais inspiração
Sentir mais os cheiros e aromas que gosto
Usar só um tipo de perfume
Seduzir as pessoas certas ( "as que não tem medo de se entregar")
Dedicar mais tempo pra minha mãe
Encontrar minha tia no dia que partir e sentir seu cheiro novamente
Praticar tênis sem sentir dor na coluna
Ajudar mais as pessoas que precisam de ajuda
Conhecer mais gente que me ensine, que me ajude a crescer
Falar mais de diversidade e dos direitos humanos,
Dignidade e finalmente ser feliz na minha simplicidade!



Acho que não conseguiria te responder tudo isso naquele momento e, naquele momento, você não teria a menor paciência pra ouvir a resposta, porque você já respondia por mim.

Coincidência

Ontem assistindo a leitura de “O Ovo e a Galinha” de Clarice Lispector, ouvi uma parte do texto em que ela dizia que muitas vezes achava que não era ela mesma quem escrevia suas coisas, que algo lhe fazia acordar de madrugada pra escrever algumas palavras ou frases soltas, onde as mesmas mais tarde virariam textos e/ou poesias.

Isso sempre me aconteceu, ultimamente acontece sempre.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Minha Clarice Lispector



Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão!
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer
- E daí? EU ADORO VOAR!

MARIA GADÚ





Tudo Diferente
Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, viu
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade
A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta
Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, né
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade
A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Lounge
http://www.goear.com/listen/e6fb1fd/lounge-maria-gadu
Vamos pra um lounge
Beber um vinho safra ruim
E conversar sobre a TV
Vamos pra longe
Sem se tocar os olhos vão
Se encontrar e se perder
Eu e você assim de perto dá
Pra eu me perder de vez nas tuas tintas
Me dê uma noite um pouco da manhã
Só pra eu sacar se os olhos mudam de cor
Eu e você assim de perto dá
Pra eu me perder de vez nas tuas tintas
Me dê uma noite um pouco da manhã
Só pra eu sacar se os olhos mudam de cor
Vamos entrar
A minha casa não é quente
Trago o vermelho pra esquentar
Vamos suar
Com o veneno da serpente
Que eu roubei pra te picar
Eu e você assim de perto dá
Pra eu me perder de vez nas tuas tintas
Me dê uma noite um pouco da manhã
Só pra eu sacar se os olhos mudam de cor
Eu e você assim de perto dá
Pra eu me perder de vez nas tuas tintas
Me dê uma noite um pouco da manhã
Só pra eu sacar se os olhos mudam de cor

Dicas

Clarice dispensa comentários!



Eu acabei lá . . . no maior corre-corre porque a Daniella me disse por telefone: "Olha tem que vir logo, a sala está cheia e estamos encerrando a venda dos ingressos". Eu corri, fui realmente muito rápida, mas na direção errada, rs. O centrinho cultural, que eu não conhecia, ficava na rua ao lado da minha, quase na mesma direção do meu prédio, e eu não sei por que, achei que fosse no teatro do Café Leblon e saí em disparada . . . Tomei um banho ultra rápido, peguei a primeira roupa que vi, o tênis calcei sem a meia, o que me causou várias bolhas (ai que dor!) nos dois pés. Quando cheguei no teatro errado foi que recuperei a lucidez, tomei a direção de volta correndo e pensando: "Burra, burra, louca, louca, que droga!!!" mas imediatamente ouvi aquela voz companheira que mora no meu interior dizendo: "Não, que nada, tudo tem um significado para o bem, nada me acontece que não seja pra me aprimorar, amadurecer, facilitar, salvar, se fui na direção contrária foi porque algo foi evitado ou está sendo preparado . . . é o universo se fazendo presente na minha trajetória". E eu quase sempre tenho razão!!! Foi assim!
 Quando cheguei no local devidamente certo, a Dani me disse: "Poxa, você demorou, não pude guardar os ingressos e acabou de acabar, mas tenho uma ótima notícia, vamos passar a leitura por um telão na sala do 2º andar, tem 80 lugares, ar condicionado e é free". Imediatamente meu botão foi acionado e a voz falou em mim: "Viu, não te disse, eu nunca te coloco em furada, te atrasei com a precisão absoluta pra você ver de graça e esperar seus 02 amigos com calma (a Mel e o Alê). Assim foi. Deu tempo da Mel comer uns belisquetes, eu tomar café e Alê chegar atrasado. Assistimos com direito a sentarmos juntos, comentar no ouvido e rir da maconha daninha que Clarice fumou antes de escrever sua obra.A lição de Budda é essa, confie nos sins e nos nãos que você recebe do universo, o que muitas vezes pode lhe parecer um não, é justamente um sim pra outras possibilidades!

O ovo e a galinha? Creio eu ter sido uma grande viagem hidropônica de Clarice, ela estrelou os ovos para as crianças no café da manhã e fez da casca um pó branco (igual ao seu ovo). Sentou-se à mesa e sem se dar conta cheirou 2 cascas de ovo. Impressionante!!!

Clarice, continuo te amando e te admirando, mas não entendendo bulhufas do ovo, talvez com muito esforço . . . um pouquinho da galinha . . . rs!

Devaneei

Eu não sei te enganar porque me engano junto
me sinto tola como um cão que corre atrás do próprio rabo
Confesso, nunca quis ver o pôr do sol no Arpoador
nunca quis sair da praia pra sentar no Bracarense
muito menos te levar pra minha casa
tudo isso era pretexto sem sexo pra te encantar

E agora? O que eu faço com teu encanto?
Pra onde vou pra não te deixar me ver 
Meus segredos ficaram na mesa do ultimo bar
você colocou no bolso meu cigarro
não quis me devolver aquele rabisco rasurado
Ai, o que eu vou fazer com essa confusão?

Não sou assim não, eu juro que não
só estava brincando, não me leva a sério não!!!

Eu vou por aí, por onde você não possa me ver
por favor me apaga, essa película é a maior furada
prefira não entender, vai por mim
te garanto que não vai perder nada
Só estou querendo me impressionar

Olha, olha pra lá, veja a lua inteira em cima desse bar
Toma ela, leva pra você e sonha que eu não estava no seu sonho
Não me inclua, não quero me culpar de já ter culpa
Nós não prestamos e nem fazemos boa mistura.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Palavras Não Falam - música

Eu não escrevo pra ninguém e nem pra fazer música
E nem pra preencher o branco dessa página linda
Eu me entendo escrevendo e vejo tudo sem vaidade
Só tem eu e esse branco e ele me mostra o que eu não
sei
E me faz ver o que não tem palavra
Por mais que eu tente, são só palavras
Por mais que eu me mate, são só palavras

 
Mariana Aydar

Meu olhar de lugar vazio



Quando ouço de ti:
"Onde estava agora
que pairou no teu olhar
um lugar vazio sem história?"

Não sei, não sei te responder
Devo ter fugido um instante por aí
Peguei carona num lápis de cor
ele riscou um arco-íris na minha memória.

O que importa é que nesse lugar aqui
Agora . . . em poucas horas . . . estou!
Não adianta procurar vazio pra
fazer de conta que não me vê
que não me entende
que eu sou um nó.

Vê se não arruma mais essa história!

Tá na minha hora . . .




Te bebo nos bares em cada gole
Esqueço teu nome e o mapa da nossa história
Te falo muito por muitas horas
Não te permito ficar, mas não te deixo ir embora
Você sabe . . . tenho medo que nos volte àquela paranóia

Ah! Você vai daqui pra lá, de lá pra cá
Brinca de ficar e ir embora
Cuidado, se me der a louca pego o próximo avião,
Ônibus ou até caminhão
Quando bate em mim a saudade
Dos teus palavrões e arranhões
Acordo logo cedo querendo me afogar

Não, não, por favor,
Não deixe eu desligar o despertador
Não posso outra vez me atrasar
Hoje eu tenho que trabalhar



terça-feira, 3 de novembro de 2009

DICA DE CINEMA


COCO ANTES DE CHANEL

Gabrielle, junto com sua irmã, é deixada ainda menina num orfanato no coração da França, e todos os domingos ela espera, em vão, que o pai volte para buscá-la … Quando jovem, se apresenta cantando com a irmã num cabaré onde os freqüentadores são soldados bêbados a fim de diversão e prazer. Além de cantar no cabaré, ela é uma humilde costureira que conserta bainhas nos fundos de uma alfaiataria de cidade pequena. Conhece Etienne Balsan, que lhe oferece um

refúgio seguro em meio a um ambiente de decadência, vícios e leviandade. Coco, apelido lhe dado por Etienne, é uma mulher apaixonada que sabe que nunca será esposa de ninguém, rebelde, autêntica, ousada, inovadora e ambiciosa. Perde sua grande paixão, Boy Capel, o homem que retribuiu seu amor, num acidente de carro e desde então nunca mais teve nenhum relacionamento sério com ninguém, é o que se sabe, apenas. Uma rebelde que considera as convenções de sua época opressoras e prefere usar roupas mais leves e soltas, tecidos mais macios, confeccionando suas próprias roupas a partir das roupas dos homens, ousando, inclusive, a vestir calça comprida, o que naquela época era um afronta. Não usava espartilho, cinta e nem rendas, seus vestidos eram soltos e não marcavam seu corpo. Esta é a história de Gabrielle “Coco” Chanel, que começa a vida como uma órfã teimosa, e, ao longo de uma jornada extraordinária, se torna a lendária estilista de alta-costura que personificou a mulher moderna e se tornou um símbolo atemporal de sucesso, liberdade e estilo.
Simplesmente lindo, adorei!!! Vidrei na tela, a atriz tem uma singularidade de expressões que encanta, consegue transmitir em seu olhar e atitudes um misto de fúria e docura que é de arrepiar. Recomendo!

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Almoço de Sexta-feira - Simulado e Costela


Tudo começou com um Simulado de Emergência no edifício onde trabalho. Cheguei às 09:00h e o prédio já estava cercado por carros de bombeiro, ambulância, jornalistas, etc. obviamente que a segurança cercou o prédio com afastamento de uns 5 metros da rua até a portaria e, um segurança amigo me disse: Bom dia Bello, chegou bem na hora da evacuação, não precisa entrar (isso significa que não precisarei descer os 10 andares de escada em fila indiana), aguarda do outro lado da calçada, o prédio só será liberado daqui 1 hora.
Pensei comigo: Puxa, podia ter dormido mais uma meia hora que ainda continuaria com crédito.
Atravessei a rua e encontrei a turma toda do outro lado da rua e nem preciso dizer que foi a maior gargalhada!
Quando subimos já era quase a hora de descer pro almoço. Estava todo mundo com fome e foi então que iniciei um bate-papo pelo nosso programinha interno de chat institucional e, consegui contagiar cinco colegas (uma delas era a chiquérrima Thais) pra comer a costela a là Flinstons no Restaurante Escondidinho, no Beco do Barbeiro, em pleno Centro da Cidade. Pegamos 2 taxis e nos dividimos . . .
O Centro estava todo engarrafado (Ai que furada!) por conta do aniversário do cinema Iris, que resolveu fazer 100 anos justo hoje. Não havia como voltar e enfrentamos rezando aquela procisão de carros. Depois de 45 minutos chegamos no restaurante, depois de uns 20 minutos fomos servidos, durante uns 30min. saboreamos a costela e as 4 originais, 10min. para pagarmos a conta, acrescentando mais 15min. de volta ao trabalho, somando tudo tiramos umas 2 horas de almoço e ainda acho muito justo pra quem teve que passar por todo esse sufoco pra almoçar uma costela deliciosa no Centro da Cidade. A sobremesa é que não foi fácil de engolir; um e-mail do chefe-gerente-coordenador dando o maior esporro na galera pelo extenso horário de almoço. Quem foi o .... que não convidou o cara pra almoçar a costela com a gente????

Por falar em costela e feriado, segue receita rápida de Costela de Boi na pressão, bom apetite!

 2 quilos de costela de vaca (cortados em cubos grandes)
 3 tabletes de caldo de carne ou de caldo de costela
 2 cebolas grandes, mal cortadas e despetaladas.
 2 caixas/latas de molho de tomate pomarola
 100 ml de vinho tinto seco
 4 dentes de alho amassado
 pimenta do reino a gosto
 cheiro verde a gosto

Junte tudo na panela, coloque as cebolas por baixo de tudo, depois as costelas, em seguida o alho amassado, a pimenta, o alho e o cheiro verde. Jogue o vinho e misture tudo, depois adicione o pomarola e misture mais uma vez tudo. Feche a panela e deixe cozinhar na pressão em fogo médio por 30 minutos.

Bom Almoço e bom feriado!!!